Artigo original
Exposição ao fumo ambiental do tabaco em Chaves depois da implementação da Lei 37/2007. Estudo transversal em 2 centros de saúde
Exposure to environmental tobacco smoke in Chaves after the implementation of the law 37/2007. A cross-sectional study in two healthcare settings
C. Paradelaa,b, M. Pérez-Ríosa,c,d,, , A. Ruano-Ravinaa,d, J.M. Barros-Diosa,d,e
a Departamento de Medicina Preventiva e Saúde Pública, Universidade de Santiago de Compostela, Espanha
b Cardiopneumologista, Centro de Saúde de Chaves n°1, Chaves, Portugal
c Serviço de Epidemiologia, Departamento de Saúde Pública, Região Autonoma de Saúde da Galiza, Santiago de Compostela, Espanha
d CIBER de Epidemiologia e Saúde Pública, Espanha
e Serviço de Medicina Preventiva, Hospital Universitário de Santiago de Compostela, Serviço de Saúde da Galizia, Santiago de Compostela, Espanha
Recebido 02 Julho 2012, Aceitaram 11 Fevereiro 2013
Resumo
Introdução

O fumo ambiental do tabaco (FAT) é atualmente o principal poluente do meio interior e responsável por uma elevada morbilidade e mortalidade. Uma restrição parcial foi introduzida em Portugal, em 2008, a Lei 37/2007, para tentar controlar, definir e regular ambientes livres de fumo.

Objetivo

Avaliar a exposição e a perceção do impacto da Lei 37/2007 sobre a exposição ao FAT em adultos atendidos em 2 centros de saúde em Chaves (Portugal).

Método

Um estudo transversal sobre o consumo de tabaco e a exposição ao FAT foi realizado em Chaves (norte de Portugal) entre novembro de 2009 e fevereiro de 2010. Todos os pacientes, com mais de 17 anos, atendidos em qualquer dos 2 Centros de Saúde de Chaves. A recolha de dados dos pacientes foi feita em uma base aleatória, abrangendo todos os dias da semana. Foi efetuada uma entrevista cara-a-cara e foi medido o monóxido de carbono exalado. Prevalências e médias foram analisadas para um intervalo de confiança de 95%.

Resultados

Dos centos oitenta e sete pacientes participantes na pesquisa, 56% eram do sexo masculino e apresentavam uma média de idades de 54 anos. A prevalência de fumadores foi de 24%, significativamente maior nos homens (31 vs. 17%). 46,2% referiram estar expostos ao fumo de tabaco em todos os lugares estudados (53% nos homens vs. 40% nas mulheres). Os fumadores declararam estar mais expostos ao FAT em relação aos não fumadores. 16,2% da população estavam expostos em casa, 14% no trabalho e 33% nos lugares de lazer. A maior diminuição da perceção de exposição passiva encontrou-se nos restaurantes (95%). Nas discotecas, 68% dos participantes afirmaram que a exposição se manteve inalterada.

Conclusão

A lei antitabaco pretende oferecer proteção contra o fumo do tabaco em vários espaços públicos fechados. No entanto, uma percentagem significativa da população permanece exposta. Este estudo destaca os perigos de uma proibição parcial. Uma lei abrangente é, portanto, necessária em Portugal.

Abstract
Introduction

Environmental tobacco smoke (ETS) is currently the main indoor pollutant and causes a high morbility and mortality. A partial restriction came into force in Portugal, in 2008, law 37/2007, trying to control, define and regulate smoke-free environments.

Objective

To assess exposure and perceived impact of the law 37/2007 on exposure to ETS among adults attending to the two health care facilities of Chaves (Portugal).

Method

A cross-sectional survey on tobacco consumption and exposure to ETS was undertaken in Chaves (Northern Portugal) between November 2009 and February 2010. All the patients, over 17, attending to any of the Chaves Primary Care Facilities were interviewed. Patient enrolment was done on a rolling basis covering all days of the week. A face to face interview was carried out and a carbon monoxide was measured. Prevalence and means are shown with 95% confidence intervals.

Results

287 patients participated in the survey, 56% were males and the mean age was 54 years. Smoking prevalence was 23,6%, significantly higher in males (31% vs 17%). 46,2% reported exposure tobacco smoke elsewhere (53% in males vs. 40% in females). Smokers declared to be more exposed to ETS than non-smokers. 16.2% of the population declared to be exposed at home, 14% at work and 33% at leisure places. The highest decrease in perception of passive exposure was found for restaurants (95%). In nightclubs 68% of the participants stated that exposure has remained unchanged.

Conclusion

The tobacco control law offered protection against tobacco smoke in several closed public spaces. However, a significant proportion of the population remains exposed. This study highlights the ineffectiveness of a partial ban. A comprehensive law is, therefore, required in Portugal.

Palavras-chave
Fumo ambiental do tabaco, Fumo passivo, Prevalência, Questionários, Estudo transversal
Keywords
Environmental tobacco smoke, Secondhand smoke, Prevalence, Questionnaires, Cross-sectional studies