Original article
Surgical lung biopsy for diffuse lung disease. Our experience in the last 15 years
Biópsia pulmonar cirúrgica na doença pulmonar difusa. A nossa experiência nos últimos 15 anos
M. Blanco, , G.A. Obeso, J.C. Durán, J.E. Rivo, E. García-Fontán, E. Peña, M. Rodríguez, J. Albort, M.A. Cañizares
Vigo University Clinical Hospital Vigo, Pontevedra, Spain
Recebido 24 Julho 2012, Aceitaram 08 Novembro 2012
Abstract
Introduction

Surgical lung biopsy is a technique that presents a morbi-mortality rate of considerable importance. We analyze our experience with surgical lung biopsies for the diagnosis of diffuse lung disease and the effect produced on the indications for surgical biopsy in these pathologies after the publication of the consensus of the ATS (American Thoracic Society) and ERS (European Respiratory Society) for Idiopathic Pulmonary Fibrosis (IPF).

Patients and methods

We performed a retrospective review of 171 patients operated between January 1997 and December 2011. We divided the series into 2 groups: group 1 (operated between 1997 and 2002) and group 2 (operated between 2003 and 2011). Suspected preoperative diagnosis, respiratory status, pathological postoperative diagnoses, percentage of thoracotomies, mean postoperative stay and perioperative morbidity and mortality were analyzed.

Results

Group 1 consisted of 99 patients and group two 72. The most frequent postoperative diagnoses were: usual interstitial pneumonia and extrinsic allergic alveolitis. There were ten (5.84%) deaths. Death was caused by progressive respiratory failure that was related to interstitial lung disease in 7 (70%) of 10 cases, alveolar haemorrhage in 2 (20%) and heart failure in 1 (10%).

Conclusions

Since the publication of the ATS and ERS consensus on the IPF, we have observed a noticeable decrease in the number of indications for surgical lung biopsy. This technique, though simple, has a considerable morbidity and mortality.

Resumo
Introdução

A biópsia pulmonar cirúrgica é uma técnica com uma morbimortalidade não negligenciável. Este trabalho resulta da experiência adquirida na realização de biópsias pulmonares cirúrgicas para o diagnóstico da doença pulmonar intersticial difusa, bem como pelo efeito provocado sobre as indicações da biópsia cirúrgica nesta entidade, após a publicação do consenso da ATS (American Thoracic Society) e da ERS (European Respiratory Society, para Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI), em 2000 e 2002.

Métodos

Revisão retrospectiva de 171 doentes intervencionados entre Janeiro de 1997 e Dezembro de 2011. A série de doentes foi dividida em dois grupos: o grupo 1 (operados entre 1997 e 2002) e o grupo 2 (operados entre 2003 e 2011). Os registos efectuados foram a suspeita diagnóstica pré-operatória, o estado respiratório, o diagnóstico patológico pós-operatório, a percentagem de toracotomias, a média de internamento hospitalar, além da morbilidade e mortalidade intra-hospitalares.

Resultados

Grupo 1 constituído por 99 doentes e o grupo 2 por 72. Os diagnósticos pós-operatórios mais frequentes foram a pneumonia intersticial usual e a alveolite alérgica extrínseca. Houve 10 mortes (5,84%). Em 7 (70%) dos 10 casos, a morte foi causada por progressão da insuficiência respiratória provocada pela doença subjacente, em 2 (20%) por hemorragia alveolar, e em um caso (10%) por insuficiência cardíaca.

Conclusões

Desde a publicação do consenso da ATS e da ERS na FPI, observou-se uma clara diminuição no número de indicações para a biópsia pulmonar cirúrgica. Esta técnica, apesar de simples, tem uma considerável morbilidade e mortalidade.

Keywords
Diffuse lung disease, Lung biopsy, Surgical mortality
Palavras-chave
Doença pulmonar difusa, Biópsia pulmonar, Mortalidade cirúrgica