Publicação breve
Associação entre a mecânica respiratória e função autonómica na obesidade mórbida
Association between respiratory mechanics and autonomic function in morbid obesity
M. Sant’ Anna Juniorc,e, R.F. Carvalhalc, J.R.I. Carneiroc, M.S. Lapaa, W.A. Zinb, J.R. Lugonf, F.S. Guimarãesa,b,d,,
a Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
b Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
c Programa de Cirurgia Bariátrica, Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
d Programa de Mestrado em Ciências da Reabilitação, Centro Universitário Augusto Motta, Rio de Janeiro, Brasil
e Centro Universitário Plínio Leite, Rio de Janeiro, Brasil
f Programa de Pós-graduação em Ciências Médicas, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil
Recebido 27 Março 2013, Aceitaram 22 Junho 2013
Resumo

Este estudo teve por objetivo investigar a associação entre mecânica respiratória e modulação autonómica em pacientes com obesidade mórbida. Foram avaliados 10 indivíduos com obesidade mórbida (IMC=52,9±11,2kg/m2), com idade entre 23-58 anos. A avaliação da mecânica respiratória foi realizada com a técnica de oscilações forçadas e a função autonómica cardiovascular por meio da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). O coeficiente de correlação de Pearson foi utilizado para testar as associações entre a mecânica respiratória e as variáveis de VFC. Houve associações entre o desvio padrão de todos os intervalos RR (SDNN) e a resistência de vias aéreas (Rm) (r=−0,82; p=0,004), SDNN e resistência do sistema respiratório (R0) (r=−0,79; p=0,006), raiz quadrada média das diferenças sucessivas entre intervalos RR normais adjacentes (rMSSD) e resistência do sistema respiratório (R5) (r=−0,643; p=0,0451), rMSSD e R0 (r=−0,64; p=0,047), e rMSSD e Rm (r=−0,658; p=0,039). Concluímos que a resistência de vias aéreas e do sistema respiratório são negativamente associadas com a atividade parassimpática em pacientes com obesidade mórbida.

Abstract

This study aimed to investigate the association between respiratory mechanics and autonomic modulation in morbidly obese patients. We evaluated 10 morbidly obese subjects (BMI=52.9±11.2kg/m2), aged 23-58 years. Assessment of respiratory mechanics was done by the forced oscillation technique (FOT), and cardiovascular autonomic function was recorded by heart rate variability analysis (HRV). The Pearson correlation coefficient was used to test the associations between respiratory mechanics and HRV variables. There were associations between the standard deviation of all RR intervals (SDNN) and airway resistance (Rm) (r=−0.82; p=0.004), SDNN and respiratory system resistance (R0) (r=−0.79; p=0.006), root mean square of successive differences between adjacent normal RR intervals (rMSSD) and respiratory system resistance (R5) (r=−0.643; p=0.0451), rMSSD and R0 (r=−0.64; p=0.047), and rMSSD and Rm (r=−0.658; p=0.039). We concluded that the airway and respiratory system resistances are negatively associated with parasympathetic activity in patients with morbid obesity.

Palavras-chave
Função pulmonar, Técnica de oscilação forçada, Variabilidade da frequência cardíaca, Obesidade mórbida
Keywords
Pulmonary function, Forced oscillation technique, Heart rate variability, Morbid obesity