Review Article
Induced Brugada syndrome: Possible sources of arrhythmogenesis
Síndrome de Brugada induzida: possíveis fontes de arritmogénese
Gonçalo Toméa,, , João Freitasb
a Universidade do Porto, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina, Porto, Portugal
b Centro Hospitalar de São João EPE, Serviço de Cardiologia, Porto, Portugal
Abstract

Brugada syndrome is an inherited cardiac condition with the potential for development of life-threatening arrhythmias in relatively young individuals without significant structural cardiac abnormalities. The condition is characterized by a distinct coved-type ST segment elevation in the right precordial leads (V1-V3). This hallmark pattern (type 1) is often dynamic and sometimes concealed, and may be unmasked in certain conditions or under the effect of certain agents, which include variation of sympathovagal balance, hormones, metabolic factors and drugs. These factors may not only modulate electrocardiographic morphology and induce the characteristic type 1 pattern, but also predispose to ventricular arrhythmias. The risk of malignant arrhythmias in acute events with induced type 1 pattern may be imminent, particularly if the patient in fact has Brugada syndrome. The physician should be aware of the modulating factors that may underlie a Brugada pattern, and be able to recognize, identify and promptly correct them. The mechanisms responsible for the type 1 pattern and possible associated ventricular arrhythmias induced by these modulating factors have attracted growing attention and interest. Furthermore, not all induced Brugada ECG patterns are observed in patients with Brugada syndrome, existing the possibility for acquired Brugada patterns/syndrome and Brugada phenocopies. This paper reviews the modulating factors associated with induced type 1 pattern as possible causes of arrhythmogenesis, particularly in Brugada syndrome patients, describes some of the probable underlying mechanisms, and discusses the concepts of acquired Brugada syndrome and Brugada phenocopies.

Resumo

A síndrome de Brugada é um distúrbio cardíaco congénito com o potencial para o desenvolvimento de arritmias fatais em indivíduos relativamente jovens sem anomalias estruturais cardíacas grosseiras. Essa condição é caracterizada por uma distinta elevação do segmento-ST com concavidade superior (tipo 1) nas derivações precordiais (V1-V3). Esse peculiar padrão tipo 1 é frequentemente dinâmico e por vezes dissimulado, podendo ser desmascarado em certas condições ou sobre o efeito de alguns agentes que coletivamente envolvem e incluem o equilíbrio simpatovagal, hormonas, fatores metabólicos e agentes farmacológicos. Não só esses fatores podem modular a morfologia eletrocardiográfica e induzir o característico padrão tipo 1, como também predispor a arritmias ventriculares. Esse risco de arritmias malignas em eventos agudos pode ser iminente e possivelmente presente, particularmente se o paciente apresentar uma efetiva síndrome de Brugada. O clínico deverá estar ciente, reconhecer, identificar e prontamente corrigir esses possíveis fatores modeladores que possam estar subjacentes a um padrão de Brugada. Os mecanismos responsáveis por esses padrões induzidos do tipo 1 e possíveis arritmias ventriculares associadas por esses fatores moduladores têm igualmente trazido crescente atenção e interesse. Ademais, nem todos os padrões de Brugada induzidos ocorrem em pacientes com síndrome de Brugada, existindo a possibilidade para padrões/síndrome adquirida e fenocópias de Brugada. Este artigo faz uma revisão dos fatores moduladores associados ao padrão tipo 1 induzido, como possíveis fontes para arritmogénese, particularmente em pacientes com síndrome de Brugada, descreve alguns dos prováveis mecanismos subjacentes e aborda os conceitos de síndrome de Brugada adquirida e fenocópias.

Palavras-chave
Síndrome de Brugada, Febre, Exercício, Iatrogenia farmacológica, Arritmia ventricular, Fenocópias

Métricas

  • Impact Factor: 1,195(2016)
  • 5-years Impact Factor: 0,728
  • SCImago Journal Rank (SJR):0,29
  • Source Normalized Impact per Paper (SNIP):0,398