Artigo original
Avaliação do equilíbrio entre oxidantes e antioxidantes na patogénese da doença pulmonar obstrutiva crónica
Evaluation of the oxidant and antioxidant balance in the pathogenesis of Chronic Obstructive Pulmonary Disease
C. Cristóvãoa,, , L. Cristóvãob,c,d,e, F. Nogueiraa, M. Bichoe
a Serviço de Pneumologia, Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, Hospital de Egas Moniz, Lisboa, Portugal
b Faculdade de Engenharia e Ciências Naturais, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa, Lisboa, Portugal
c Faculdade de Ciências Biomédicas, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa, Lisboa, Portugal
d Unidade de Biotecnologia Ambiental, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, Portugal
e Laboratório de Genética, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal
Received 20 February 2012, Accepted 14 September 2012
Resumo

A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma das doenças crónicas mais comuns e representa uma importante causa de morbilidade e mortalidade. Um desequilíbrio entre oxidantes e antioxidantes (stress oxidativo) tem sido proposto como um acontecimento importante na patogénese da DPOC. O aumento do stress oxidativo em doentes com DPOC é o resultado da presença de oxidantes exógenos, nomeadamente, poluentes e fumo do tabaco, assim como oxidantes endógenos produzidos durante a inflamação. O objetivo do presente estudo consistiu em clarificar a hipótese sobre a existência de um desequilíbrio entre oxidantes e as defesas antioxidantes associado à DPOC. Neste estudo, avaliou-se um biomarcador do stress oxidativo (malonildialdeído, um produto resultante da peroxidação lipídica) e antioxidantes não-enzimáticos (vitamina C e grupos sulfidrilo), em doentes com DPOC e em controlos saudáveis. Observou-se um aumento significativo (p<0,001) do marcador do stress oxidativo nos doentes com DPOC comparativamente ao grupo controlo. Não foram encontradas alterações dependentes da idade nos níveis dos produtos da peroxidação lipídica. Os doentes DPOC apresentaram uma diminuição significativa (p<0,001) do status antioxidante, comparativamente ao grupo controlo. Os nossos resultados evidenciam que o stress oxidativo representa uma importante alteração fisiopatológica na DPOC.

Abstract

Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) is one of the most common chronic diseases and a major cause of morbility and mortality. An imbalance between oxidants and antioxidants (oxidative stress) has been proposed as a critical event in the pathogenesis of COPD. The increased oxidative stress in patients with COPD is the result of exogenous oxidants namely pollutants and cigarette smoke as well as endogenous oxidant production during inflammation. The aim of the present study was to clarify the hypothesis about the presence of an imbalance between oxidants and the antioxidant defences associated to COPD. In this study, we evaluated a biomarker of oxidative stress (malondialdehyde, a lipid peroxidation derived product) and non-enzymatic antioxidants (vitamin C and the sulphydryl groups) in COPD patients and healthy controls. The marker of oxidative stress was found to be significantly (p<0,001) higher in COPD patients when compared with the control group. No age dependent changes in the plasma levels of lipid peroxidation products were found. COPD patients had a significant (p<0,001) decrease in antioxidant status compared with control group. Our results show that oxidative stress is an important pathophysiologic change in COPD.

Palavras-chave
Doença pulmonar obstrutiva crónica, Stress oxidativo, Peroxidação lipídica, Antioxidantes
Keywords
Chronic obstructive pulmonary disease, Oxidative stress, Lipid peroxidation, Antioxidants

Metrics

  • Impact Factor: 1.560(2016)
  • 5-years Impact Factor: 1,100
  • SCImago Journal Rank (SJR):0,29
  • Source Normalized Impact per Paper (SNIP):0,685